Personalização

À medida que os anos avançam, testemunhamos o surgimento de novidades, tendências e descobertas no mundo da comunicação, sobretudo no âmbito digital. Contudo, há determinados elementos que deixam de ser meras tendências para se integrarem no nosso quotidiano. Num cenário repleto de estímulos, informações e constantes desvios da nossa atenção, a disputa pela atenção dos consumidores torna-se cada vez mais acirrada. E vencer essa batalha implica alcançar um nível profundo de entendimento dessas pessoas, oferecendo-lhes algo totalmente personalizado, quase exclusivo. Esta é a macrotendência que influencia a tecnologia, o digital e o comércio a retalho.

 

A inteligência artificial veio para ficar e é uma dessas ferramentas que deixa de ser uma simples tendência para se tornar parte integrante das nossas vidas, por vezes, sem sequer darmos conta disso. A IA não serve apenas para nos auxiliar na criação de textos ou na geração de imagens fantásticas, mas é também uma poderosa ferramenta de personalização. A IA é excelente na criação de chatbots, na personalização de campanhas de e-mail, na geração de leads qualificados, na segmentação de públicos e, claro está, na melhoria de conteúdos. No entanto, é importante salientar que o simples copy-paste utilizando o ChatGPT pode ser perigoso; é crucial que adicionemos o nosso toque pessoal na criação de conteúdos.

 

Falando em conteúdos, este tema continua a ocupar um lugar de destaque nas estratégias de marketing digital. O UGC (User Generated Content) mantém-se no topo da lista, pois estamos a falar de pessoas para pessoas. Conteúdos que possuam uma abordagem mais "pessoal" são mais autênticos e genuínos e, consequentemente, despertam mais interesse. Esta é a melhor forma de promover uma marca e obter opiniões reais sobre ela.

 

No entanto, todos os caminhos acabam por convergir para um mesmo destino: a acumulação de dados. Estes são fundamentais para a segmentação de mercado e para o desenvolvimento de experiências altamente personalizadas. Os dados também servirão para avaliar as campanhas de forma mais assertiva.

 

A sustentabilidade continua a ser um tema de extrema importância e relevância. Este tema permeia todas as nossas ações diárias e não poderia ser diferente para as marcas. Por conseguinte, as palavras-chave são transparência e ética. Os consumidores querem saber como são os processos de fabrico, o que está por trás dos preços de custo e se as empresas onde adquirem produtos são socialmente responsáveis ou não.

 

Em resumo, a personalização emerge como a principal tendência na comunicação digital, exigindo um profundo entendimento dos consumidores para oferecer experiências exclusivas. A inteligência artificial desempenha um papel crucial nesse contexto, facilitando a personalização de conteúdos e campanhas. O conteúdo gerado pelo usuário continua a ser uma ferramenta poderosa, proporcionando autenticidade e conectividade com o público-alvo. A análise de dados torna-se fundamental para a segmentação de mercado e a avaliação de campanhas. Por fim, a sustentabilidade e a ética são valores cada vez mais importantes, influenciando as decisões dos consumidores e demandando transparência por parte das marcas. Neste cenário em constante evolução, adaptar-se a essas tendências é essencial para manter a relevância e o sucesso no mundo digital.

Autora: Fernanda Maron